quarta-feira, 13 de maio de 2015

Entrevista da Semana: Mônica Salgado

Nos posts do SPFW falei que tinha conhecido a Diretora da revista Glamour, a linda da Mônica. Tive um trabalho da faculdade na qual tinha que entrevistar alguém de relevância social, e a Moni (já me sinto intima hahaha) foi super fofa em conceder a entrevista. Confira agora.

Mais simpática e dedicada que o instagram apresenta. Mãe super dedicada do Bernardo, tem um casamento que parece início de namoro com Afonso Nigro e diretora da revista Glamour. Mônica Salgado é uma jornalista totalmente competente e dedicada à carreira, e há três anos vem assumindo a carreira de sucesso da revista que é a cara da mulher moderna brasileira. Mônica é um exemplo de que com equilíbrio e dedicação, tudo pode dar certo.

Qual era sua relação com a moda na adolescência?
Bom, na verdade eu acho que tive influencia da minha mãe, porque minha mãe sempre gostou não exatamente de moda, no sentido assim mais técnico do termo. Ela não era insider do mundo da moda, mas sempre foi muito vaidosa. Então acho que isso foi uma influencia legal pra mim. Sempre se enfeitou muito, sempre gostou de se maquiar, andar cheirosa, sempre montada. Então acho que isso me despertou realmente uma conexão com esse universo da estética, da beleza, do se enfeitar.

Como foi sua faculdade e trajetória profissional até chegar a direção da Glamour?
Me formei em jornalismo pela PUC-SP. Eu sempre fui uma apaixonada pelo universo das revistas, sempre foi um universo que me tocou muito, sempre gostei muito. A minha mãe era muito leitora de revistas femininas, então aquele universo sempre me atraiu. Ao mesmo tempo, minha mãe também é professora de português, então eu sempre fui muito ligada em gramática, sempre gostei muito de redação e tal. Então a minha escolha profissional quando eu resolvi, enfim naquele momento aos 17 anos decidi o que prestar, eu não tive muita dúvida não, pra mim sempre foi jornalismo, sempre quis trabalhar com isso. Então pra mim sempre foi muito claro que era o que eu queria fazer. Me formei em jornalismo, comecei a trabalhar com dois anos de faculdade, ai passei por um jornal, fiz estagio em rádio. Acho que fiz meio que assim, uma via crucil: passei por radio, passei por jornal, passei por revista, passei por assessoria de imprensa. Depois eu comecei a fazer marketing. Eu acho que isso me deu uma visão 360 muito legal assim, que contribuiu muito pra que eu hoje conseguisse olhar a Glamour hoje como uma marca, e não só como uma revista, como eu olho.

Quais são os maiores desafios em sua área de atuação?
Bom, eu acho que os desafios são não se acomodar né. Sempre se desafiar, pensar fora da caixa, pensar diferente, não se acomodar nem com o sucesso que graças a Deus hoje a gente tem, com os louros, com os números, não se acomodar em fazer o que simplesmente todo mundo faz porque é assim que se faz. Então assim, questionar, ser impensável, ser curiosa, pensar fora, se perguntar muito: “porque não? Porque não? Porque não? Todo mundo ta indo por aqui, por que que eu não vou por ali?”. Então acho que isso é o desafio maior quando a gente trabalha com criação e a gente trabalha com o encantamento do público.

Qual a experiência mais marcante que você teve atuando como diretora da revista?
A experiência mais marcante que eu tive? Caramba, que difícil. Deixa eu pensar. Olha eu posso te dizer que a experiência mais marcante ao longo desses três anos de Glamour, foi o prêmio Geração Glamour né. Aconteceu dia 26 de março aqui em São Paulo e foi uma noite linda. Foi o primeiro de muitos, vai ser um prêmio anual. Por ser o primeiro, é claro que a gente tinha expectativas altas e não sabia muito bem ali como a coisa ia se desenrolar, e foi lindo, foi uma noite linda assim. Foi uma das noites mais importantes da minha vida, depois do meu casamento, nascimento do meu filho, com certeza ta assim entre o Top 5. Porque eu fiquei emocionada em muitos momento. Eu me senti realizando uma história sabe, coroando uma história de três anos de luta, de suor, de sem saber se a coisa ia vingar, se as pessoas iam comprar esta ideia. Então quando eu vi aquilo tudo acontecendo eu falei: “nossa, deu certo. Caramba, a Glamour é um sucesso”. Foi lindo. 
Você é casada e tem um filho. Como administra o trabalho e a família?
Bem, aos trancos e barrancos como todo mundo, ali né equilibrando os pratos dia a dia. Cara a gente não tem opção. Nós somos mulheres modernas, a gente quer trabalhar, a gente quer ter filhos, a gente quer ser feliz no casamento e a gente vai tentando ali no dia a dia equilibrar isso tudo. É obvio que não é fácil, mas o trabalho me consome muito, porque é isso, é um trabalho criativo, não é um trabalho que segue um horário de escritório, que eu saio do escritório chego em casa e deixo todos os problemas do escritório do outro lado. Então assim, a gente meio que trabalha online quase que o dia todo, o que não é nem um sacrifício pra mim, mas é claro que as vezes a vida pessoal sofre um pouco né, porque é um trabalho de muita doação.  Mas, eu acho que assim, aos fins de semana eu tento ta muito presente, quase sempre eu consigo ta assim só pra eles; levo meu filho na escola quando ele entra de manhã duas vezes quando ele faz inglês, fico com ele de manhã. Então assim, eu acho hoje a minha rotina é muito gostosa. Eu não mudaria nada na minha rotina, eu gosto muito assim da vida que eu levo, do jeito que eu esquematizei as coisas. Ainda que, claro, de vez em quando a professora liga, meu filho ta com febre e eu não tenho como sair para pega-lo, e isso dói, como dói pra toda mãe, mas enfim, faz parte da vida.

Mãe, esposa, diretora. Ocupa tempo, mas continua sendo mulher. Quais são seus principais cuidados com a beleza, corpo, mente e o que mais gosta de fazer para distrair e desestressar?
Os cuidados, nos últimos anos, no último ano principalmente eu me larguei assim, foi um momento estranho pra mim, porque eu sempre fui muito cuidadosa, muito vaidosa. Engordei 8 kgs, tava comendo mal, dormindo mal. Até que em dezembro eu falei: chega!  Vou mudar de vida, acabou. Eu preciso estar mais disposta, eu preciso dormir melhor, eu preciso me sentir mais saudável. E ai eu comecei a fazer um trabalho com uma nutricionista, uma personal e com uma massagista. E hoje eu tenho uma alimentação muito boa; fim de semana dou ali aquela escapada tudo bem, também a gente precisa ser feliz. Mas durante a semana eu to sendo muito regrada. Ainda preciso emagrecer um pouco mais para chegar ao meu peso ideal e to fazendo ginastica praticamente todo dia. E a minha qualidade de vida deu um salto e de verdade eu sinto que renasci, to me sentindo muito bem com meu novo corpo e com estes novos hábitos. E cuidados com a beleza é mais com o cabelo né, que termina tomando mais do nosso tempo. Eu faço reflexo assim, mas na verdade a raiz eu deixo na cor natural então ele não dá tanto trabalho assim, eu não tenho que retocar. Mas agora estão surgindo os primeiros frios brancos (risos), então eu sinto que daqui a um tempo talvez eu tenha que tingir a raiz. Mas enfim, é coisa da vida. Não tem como a gente evitar, não tem problema. Se tiver que ir no cabelereiro de 15 em 15 dias eu vou, não vai ser nenhum sacrifício (risos).

Quais dicas você dá para alguém que assim como você. Busca felicidade e sucesso tanto na vida pessoal quanto na profissional e quer seguir seus passos?
Olha, tem sempre uma coisa que eu falo: é muito difícil você dar uma dica porque as pessoas almejam coisas diferentes na vida né, assim, talvez alguém queira se dedicar mais a família, estar mais disponível pros filhos, então assim, depende muito. Mas uma coisa que eu acho importante, que eu acho que é uma mola propulsora assim pra vida é a gente nunca perder a capacidade de se deslumbrar. Eu acho que a vida tem que nos deslumbrar e a gente tem que deixar isso acontecer sabe? Olhar pro mundo com esse encantamento, com esse deslumbre. Seja numa viagem, seja num restaurante, seja num livro que você ta lendo, numa revista que você ta lendo, seja numa conversa que você ta tendo com seu marido ou seu filho. É lindo quando a gente consegue se deslumbrar, se emocionar, se deixar tocar por uma coisa, por um sabor, por uma história que te inspira. Então tentar saborear estes momentos porque  é assim que a gente cria repertório , é assim que a gente alimenta nossa vida emocional e espiritual também. E acho que isso que é a felicidade né, ter uma vida que te dê momentos de deslumbre e de curtição, de se emocionar  diante das coisas. Então é não perder essa capacidade de se deslumbrar de ter sua curiosidade atiçada, de te desafiar.


Tem como não se inspirar nessa moça? Cada vez mais amores. Espero que tenham gostado, e se quiserem sugerir pessoas para entrevistarmos, será legal.
Mil beijos
poneipam

Um comentário:

Copyright © 2015 Poneipam | Distributed By My Blogger Themes | Designed By Blokotka